Afinal, o que é radiofrequência?

A radiofrequência é o tratamento ideal se você procura por um tratamento rápido e efetivo, sem muitos danos colaterais para redução de gordura. Indicado por especialistas, a radiofrequência permite reduzir a gordura localizada e dar adeus àquelas celulites indesejadas. Ficar pronta para o verão agora é mais fácil!

O que é radiofrequência?

Poucos tratamentos são tão versáteis na hora de cuidar da formosura do corpo e também do rosto como a radiofrequência. O procedimento é utilizado para estimular o colágeno, além de aumentar o metabolismo celular, sendo indicado para tratamento de rugas, combate à flacidez, tratamento de celulite e por fim, combate à obesidade. Trata-se de uma ótima opção tanto para mulheres, como para os homens.

Como é feita a radiofrequência?

Afinal, o que é radiofrequência?Amplamente utilizada na dermatologia estética, à radiofrequência utiliza o calor como forma melhorar a pele. É feita com a ajuda de um equipamento essencial, que eleva a temperatura da localidade subcutânea a níveis que variam entre 39ºC até 42ºC.

O aparelho emite correntes capazes de provocar a produção de novas fibras de colágeno, combatendo a flacidez. Para realizar o tratamento, é aplicado na localidade um gel de condução (rosto) ou vaselina (corpo), sendo os disparos feitos com movimentos circulares para que a temperatura subcutânea se eleve de modo homogênea.

Durante a radiofrequência, o técnico confere periodicamente a temperatura na extensão do equipamento, uma vez que é vital que não supere os 42ºC.

A radiofrequência é um tratamento não agressivo e também considerado abrigado pela maior parte dos especialistas. A única parte do corpo onde não deve ser aplicada é na localidade da tireoide.

E quando eu vejo os efeitos da radiofrequência?

A totalidade de sessões para cuidar uma determinada zona do corpo ou rosto vai depender de cada caso, das peculiaridades do paciente, de seus objetivos, considerando a resposta do mesmo ao procedimento. Frequentemente são indicadas de 3 a 10 sessões de radiofrequência. Para o corpo, a periodicidade precisa ser semanal. No caso do rosto, é recomendável uma aplicação a cada duas ou três semanas.

A exclusão da obesidade confere resultados estáveis e também duradouros. Mas, para manter os resultados, o paciente deve ingerir alimentos saudáveis e também praticar regularmente exercícios. Assim, você evita o acumulo de gordura.

Entretanto, se o paciente consumir mais energia do que seu corpo gasta, é procedente que aumente de peso e também que a obesidade volte a permanecer dentro das regiões do corpo.

Além de progredir a exclusão da adiposidade acumulada, a radiofrequência melhora a tonicidade da pele porque aumenta a produção de fibras de colágeno e também elastina que dão sustentação à pele. Desta forma, evita a flacidez que os outros procedimentos costumam deixar.

Quais os cuidados que devem ser tomados?

Afinal, o que é radiofrequência?Não existe cuidados específicos para quem vai iniciar o tratamento com radiofrequência, simplesmente certificar de que a pele está limpa. Posteriormente as sessões, porém, é preciso redobrar os cuidados com a exposição solar.

O protetor deve ser utilizado diariamente, só que deve ser aplicado na pele uma hora após a aplicação da radiofrequência. Da mesma maneira, a maquiagem deve ser evitada nos 60 minutos posteriores ao tratamento.

Como possíveis efeitos colaterais, pode aparecer rubor e também inchaço na localidade do uso, de proporção moderado ou leve. Também é verosímil o surgimento de prurido, vergões e também máculas arroxeadas, que sumirão com o tempo, posto que estes são efeitos transitórios.

Quem NÃO pode fazer o procedimento?

A radiofrequência na barriga e nos glúteos é muito bem tolerada e o único risco que existe é o de poder queimar a pele. Mas isso só acontece quando a ponteira não está em movimento constante no tratamento.

Esse procedimento NÃO é indicado quando a pessoa está muito acima do peso ideal e também não é indicada em casos de uso de prótese metálica no local da aplicação. Outras contrapartidas:

  • Durante a gestação;
  • Em caso de hemofilia;
  • Em caso de febre;
  • Se houver alguma infecção no local de tratamento;
  • Se houver transtorno de sensibilidade;
  • Se a pessoa tem um marca-passo;
  • Quando a pessoa toma algum remédio anticoagulante.

Compartilhe!

2 Comments

    1. Oi Débora. No caso da Criofrequência, temos a ação do calor e do frio simultaneamente, o que melhora mais ainda os resultados.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

dois × 3 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.